O que é Aromaterapia? 9 Maneiras em que ela beneficia sua Saúde

Por Cris Marcondes

Tratamentos alternativos, como a aromaterapia, são oferecidos em práticas terapêuticas, incluindo centros de massagem, estúdios de yoga, spas e até mesmo em casas de repouso, consultórios de quiropraxia e alguns hospitais. Mas, o que é aromaterapia?

Os óleos essenciais usados na aromaterapia são feitos usando diferentes partes de plantas medicinais como flores, ervas, raízes e árvores cultivadas no mundo todo, esses óleos comprovaram cientificamente seus poderosos efeitos na melhoria do bem-estar físico, emocional e espiritual.

Por mais de 5.000 anos, a aromaterapia tem sido uma prática confiável entre as culturas no mundo todo. Os adeptos da cura natural recorrem à aromaterapia por causa dos efeitos antibacterianos, anti-inflamatórios e analgésicos dos óleos essenciais aromáticos. Então, para o que a aromaterapia é usada? Alguns dos motivos mais comuns que as pessoas a usam, de acordo com pesquisas realizadas pelo PDQ - Conselho de Terapias Complementares, Integrativas e Alternativas, incluem o controle da dor, melhora na qualidade do sono, redução de estresse, superação dos sintomas de depressão, alívio das articulações doloridas e até combate aos efeitos do câncer. (1)

Hoje, você provavelmente encontrará mais de 40 óleos diferentes de aromaterapia de grau terapêutico disponíveis em lojas de alimentos saudáveis e on-line (embora existam muitos mais do que isso). Alguns óleos aromáticos populares que você pode reconhecer incluem os óleos de tea tree (árvore do chá), lavanda e menta, usado em tudo, desde pasta de dente até detergente.


O que é Aromaterapia?

A aromaterapia é um tipo de prática de medicina alternativa que utiliza óleos essenciais aromáticos (possuem cheiro) que são derivados de uma grande variedade de plantas curativas. Quando inalados ou aplicados à pele, os óleos essenciais de grau terapêutico (também às vezes chamados óleos voláteis) foram comprovados por ajudar as pessoas a superar vários problemas de saúde sem a necessidade de medicamentos.

Veja aqui alguns fatos sobre como os óleos essenciais funcionam:

As plantas contêm certas químicas benéficas como um meio de se proteger, inclusive para afastar insetos ou roedores, e se defender de bactérias ou vírus.

Os ingredientes ativos dentro dos óleos são obtidos diretamente de altos rendimentos de plantas medicinais ou ervas através de um processo conhecido como destilação, em seguida, misturados com álcool para preservar sua força. O resultado final é uma fórmula oleosa muito concentrada que pode ser misturada com outras substâncias.

Porque eles são muito fortes, os óleos essenciais utilizados nas práticas de aromaterapia são geralmente combinados com um óleo base, como amêndoa, jojoba ou óleo de coco, antes de ser aplicado diretamente sobre a pele.

A aromaterapia pode ser realizada de várias maneiras diferentes:

- Difusão de uma combinação de óleos essenciais no ar (ou apenas um único óleo);

- Inalação dos óleos pelas narinas diretamente de um pano ou do frasco;

- Receber massagem terapêutica utilizando óleos;

- Tomar um banho de imersão infundido com óleos;

- Usar os óleos em cosméticos naturais.

As partes das plantas mais populares que produzem óleos essenciais mais usados na aromaterapia são:

- Ervas como alecrim, tomilho, orégano ou menta;

- Folhas das plantas de eucalipto;

- Gramas, como o capim-limão;

- Sementes de erva-doce;

- Cascas de frutas como laranjas, toranja ou limão;

- Flores, incluindo rosa ou gerânio;

- Madeira ou casca de árvores, incluindo cedro ou pinheiro;

- Raízes do gengibre;

- Resina de árvores de olíbano ; 

E muito mais!


Quem pode ter os benefícios da Aromaterapia?

Para que é utilizada a aromaterapia? A aromaterapia tem sido estudada em relação à melhoria dos problemas de saúde a curto prazo, juntamente com distúrbios mais sérios. Pesquisas mostram que qualquer pessoa com as seguintes condições de saúde provavelmente pode se beneficiar da aromaterapia:

Estresse crônico ou ansiedade

- Depressão

- Insônia e problemas do sono

- Dor muscular

- Dor nas articulações

- Infecções respiratórias

- Distúrbio digestivo

- TPM ou sintomas da menopausa

- Problemas ou distúrbios da pele, incluindo picadas, erupções cutâneas, hematomas, celulite ou acne

- Flutuações do açúcar no sangue

- Câncer

- Fadiga


Um grupo crescente de estudos humanos e animais mostrou que os óleos de aromaterapia podem ter efeitos sedativos e estimulantes, além de efeitos positivos sobre o sistema imunológico e o sistema nervoso central. Recentemente, estudos realizados usando varreduras de imagem funcional mostraram que os óleos perfumados da aromaterapia têm efeitos positivos na região primitiva do cérebro chamada sistema límbico, o que ajuda a controlar as respostas emocionais e os comportamentos.


O que e Aromaterapia
A chave para alcançar os resultados da aromaterapia é usar óleos puros, de grau terapêutico, em vez daqueles com ingredientes sintéticos ou fragrâncias. A eficácia das práticas de aromaterapia depende sempre da qualidade dos óleos usados, além da dosagem. Seguem os benefícios que aromaterapia pode trazer pra sua saúde e os estudo científicos que comprovam sua ação.


1. Promove Relaxamento

Muitos estudos mostraram que determinados óleos essenciais utilizados em práticas de aromaterapia, incluindo lavanda e camomila, podem ajudar as pessoas que se sentem estressadas ou ansiosas para relaxar. (2) Acredita-se que o perfume da lavanda tenha um efeito calmante praticamente universal que diminua a ativação do sistema nervoso simpático, responsável pela resposta combativa e sintomas físicos, como palmas suadas ou um coração acelerado.

Os resultados de um estudo publicado no Jornal de Enfermagem Avançada descobriram que os pacientes que receberam aromaterapia relataram melhora significativamente maior em seu humor e níveis percebidos de ansiedade e sentiram-se menos ansiosos e mais positivos imediatamente após a terapia. (3)

Se você é novo na aromaterapia, uma maneira simples de começar é adicionar várias gotas de óleos essenciais relaxantes para a ansiedade em um banho quente. Por exemplo, de cinco a sete gotas de lavanda adicionadas a um banho de imersão (às vezes também com sal de Epsom) é uma maneira comum de ajudar a controlar o estresse diário.


2. Ajuda a Melhorar a Qualidade do Sono

Porque muitos óleos de aromaterapia ajudam as pessoas a relaxar e se sentir menos estressadas, eles podem ser muito úteis para fazer você se sentir com sono antes de ir pra cama. Aqueles com insônia, ansiedade ou mesmo síndrome das pernas inquietas e ondas de calor que surgem durante a noite podem se beneficiar de óleos essenciais que induzem o sono, incluindo o óleo de lavanda, camomila, rosa, vetiver e ylang ylang.

Uma hora ou mais antes de ir dormir, tente difundir óleos essenciais em seu quarto usando uma vela de aromaterapia ou um difusor eletrônico. Os óleos de aromaterapia difundidos funcionam liberando partículas muito pequenas no ar que podem ser inaladas diretamente pelas narinas, de onde seguem para o cérebro e são capazes de atravessar a barreira hematoencefálica. Adicionando cerca de cinco a dez gotas para um difusor em sua casa ou escritório pode ajudar a criar um ambiente tranquilo, além de deixar um cheiro gostoso no ambiente.


3. Problemas no Trato Respiratório

Certos óleos de aromaterapia têm propriedades antissépticas que ajudam a limpar o ar de bactérias, fungos e mofo, que podem contribuir para problemas respiratórios, como congestão, tosse ou espirros.

Pesquisas mostram que o uso de óleos citrinos em práticas de aromaterapia pode ajudar a melhorar a função imunológica geral e reduzir a fadiga associada aos estados depressivos. Foi descoberto que os óleos aromáticos, como laranja e limão (aqueles com fragrância cítrica), podem restaurar a imunossupressão induzida pelo estresse e ajudar a restaurar o equilíbrio homeostático. Os óleos essenciais para depressão e os óleos citrinos também são benéficos para melhorar a saúde mental através da estimulação do sistema sensorial chamado "sistema olfativo", que controla o sentido do olfato.

Quando os óleos citrinos foram administrados a 12 pacientes depressivos, eles mostraram níveis normalizados de hormônio neuroendócrino e melhoraram a função imunológica, o que foi comparável aos efeitos dos antidepressivos. (4)

Além da difusão dos óleos em sua casa, você pode inalar óleos aromáticos diretamente do frasco ou esfregar um pouco diluído em um óleo base em seu peito ou pescoço para que você possa respirar as partículas. Existem alguns ótimos óleos essenciais para alergias e óleos essenciais para dor de garganta outros problemas respiratórios. Óleos essenciais que podem ajudar a superar infecções dos seios nasais, alergias, resfriados, gripe ou tosse e fadiga incluem eucalipto, menta, olíbano, alecrim, mirra, limão, orégano e árvore do chá.

4. Melhora a Saúde da Pele

Os óleos essenciais diluídos podem ser borrifados na pele ou no couro cabeludo para reduzir a acne, a caspa, a celulite, as micoses, a coceira, a inflamação de picadas, erupções cutâneas ou para melhorar a cicatrização de feridas. O óleo da árvore do chá (Melaleuca alternifolia) é um dos óleos mais populares para o tratamento de problemas de pele, uma vez que possui qualidades antibacterianas, antissépticas, antifúngicas e outras qualidades de limpeza. (5)

Outros óleos de aromaterapia para a pele (incluindo óleos essenciais para acne) incluem lavanda, sálvia esclaréia, bagas de zimbro, limão, laranja, perpétua-das-areias e incenso. Para fazer um spray de óleo de aromaterapia caseiro que você pode borrifar na área problemática da sua pele, adicione 10-20 gotas de óleo a um frasco spray contendo cerca de 120 ml de água.

Use vários sprays ao mesmo tempo em sua pele e mantenha o que você não usa de imediato para uso posterior. Você também pode usar os mesmos óleos em sua pele ou couro cabeludo diretamente (incluindo fazer shampoo caseiro de óleo essencial) ou borrifá-los em toda a sua casa para outros benefícios.


5. Pode Ajudar a Controlar os Sintomas ou Efeitos Colaterais do Câncer

A aromaterapia é utilizada por pacientes com câncer principalmente como cuidados de auxílio durante o tratamento, para redução de estresse ou controle da dor, ou simplesmente para o bem-estar geral. É comum que as pessoas que lutam contra o câncer tentem diferentes métodos de tratamentos complementares (incluindo massagem terapêutica, meditação ou acupuntura), nos quais os óleos de aromaterapia podem ser utilizados.

Qual aromaterapia é utilizada em pacientes com câncer? Vários óleos de aromaterapia são capazes de diminuir os sintomas associados ao câncer, tais como náuseas, fadiga e dores, depressão e insônia. Óleos essenciais que podem ajudar a lidar com sintomas de câncer, ou efeitos colaterais causados por tratamentos de câncer, incluem olíbano, gengibre, lavanda, gerânio, rosa, neroli e sálvia esclaréia.

Um estudo publicado no Jornal Americano de Cuidados Continuados e Paliativos descobriu que a aromaterapia ajudou os pacientes com cuidados continuados a diminuir a dor, a ansiedade e a depressão e promover uma maior sensação de bem-estar. (6) O estudo mediu as respostas de 17 pacientes em tratamento de câncer ao óleo essencial de lavanda difundido usado em sessões de aromaterapia de 60 minutos. Após as sessões de aromaterapia, os resultados refletiram uma mudança positiva na pressão arterial e pulso, juntamente com sintomas reduzidos de dor e transtornos emocionais.

6. Acalma Dor e Inflamação

Para ajudar a acalmar os músculos rígidos ou tensos, as articulações doloridas, lesões inflamadas no tecido ou dores de cabeça, uma combinação de diferentes óleos de aromaterapia pode ser inalada ou aplicada na área problemática. Os óleos essenciais populares para a dor da artrite incluem gengibre, mirra, açafrão e laranja. Você pode usar outros óleos de aromaterapia para quase qualquer fonte de dor, incluindo óleos essenciais para dores de cabeça, como menta, hortelã, alecrim e olíbano.


7. Ajuda a Reduzir o Cansaço e Aumentar o Estado de Alerta

Um estudo do Jornal Internacional de Neurociência envolvendo 40 pacientes com estados de espírito depressivos e fadiga mental descobriu que a aromaterapia afeta positivamente o estado de alerta, a competência no teste (neste caso, com relação a problemas de matemática) e melhora o humor em geral. Quarenta adultos receberam três minutos de aromaterapia utilizando um dos dois aromas, lavanda (considerado um aroma relaxante) ou alecrim (considerado um aroma estimulante). Os participantes completaram cálculos de matemática e pesquisas sobre seu humor antes e depois da terapia.

Aqueles expostos à aromaterapia de lavanda apresentaram maior poder beta, sugerindo aumento da sonolência, mas também relataram diminuições do humor depressivo e se sentiram mais relaxadas. Embora relatassem sentir-se mais sonolentos, os participantes do grupo da lavanda realmente realizaram os cálculos de matemática mais rápido e com mais precisão após a aromaterapia. O grupo do alecrim mostrou diminuição do poder alfa e beta frontal, sugerindo aumento do estado de alerta. Eles também tiveram menores resultados do estado de ansiedade, relataram sentir-se mais relaxados e alertas, e foram mais rápidos ao completar os problemas de matemática. (7)


8. Melhora a Libido

A aromaterapia tem uma longa história de uso para melhorar a libido, aumentando a energia através do aumento do fluxo sanguíneo e tratamento de disfunções sexuais. Os óleos populares da aromaterapia para melhorar o equilíbrio hormonal, o "poder feminino" e a saúde sexual incluem sálvia esclaréia, sândalo, alecrim, gerânio, ylang ylang e neroli.

9. Melhora a Digestão e Reduz a Náusea

Os óleos de aromaterapia, como o gengibre, o açafrão, a toranja, a menta, o limão, a camomila e o eucalipto, podem ajudar a reduzir o refluxo ácido, úlceras, náuseas, indigestão, enjoo matinal ou dor no estômago devido à TPM.

Um estudo de 2015 publicado no Jornal de Fisiologia Básica e Farmacologia descobriu que os óleos essenciais de açafrão (Curcuma longa) e gengibre (Zingiber officianale), que são amplamente utilizados em países asiáticos como medicina tradicional e ingredientes alimentares, têm fortes atividades gastroprotetoras, incluindo potencial anti-úlcera.

Ambos fornecem altos níveis de enzimas antioxidantes, como a glutationa peroxidase, superóxido dismutase, catalase e glutationa, que demonstraram reduzir a necrose, erosão e hemorragia da parede do estômago, reduzindo significativamente as dores de estômago. (8)


História da Aromaterapia e Fatos Interessantes

Por milhares de anos, os óleos essenciais de aromaterapia têm sido uma parte importante do autocuidado e das práticas medicinais - usadas como perfumes, tônicos, produtos de limpeza, pomadas e muito mais. Os registros mostram que algumas das primeiras civilizações a adotar o uso de aromaterapia incluem os chineses, indianos, egípcios, gregos e romanos.

Fatos interessantes sobre a história da aromaterapia incluem: (9)

- Há mais de 2.500 anos, Hipócrates recomendava banhos aromáticos para o bem-estar geral e a prevenção da saúde.

- No ano de 100 D.C, o filósofo Dioscórides mencionou os óleos aromáticos em alguns de seus escritos, incluindo cardamomo, canela, mirra, manjericão, erva-doce, olíbano, zimbro, pinho, rosa, alecrim e tomilho.

- Os óleos aromáticos foram usados pelos antigos sacerdotes egípcios durante cerimônias religiosas e como agentes antissépticos.

- A partir do final dos anos 1800, os pesquisadores começaram a usar extratos botânicos em estudos, publicando seus relatórios em jornais médicos respeitados. Professores de medicina franceses e alemães começaram a usar a aromaterapia para combater doenças como a tuberculose e feridas infeccionadas.

- No começo do século 19, os óleos essenciais começaram a ser usados nas práticas da medicina ocidental. Os médicos começaram a isolar os princípios ativos das plantas (identificados como "ingrediente ativo") para usá-los na fabricação de medicamentos prescritos.

- Soldados franceses voltando pra casa da Primeira Guerra Mundial foram tratados com óleos de aromaterapia para curar feridas, tratar ansiedade e diminuir a depressão.

- A aromaterapia chegou aos EUA por volta de 1980.

- Atualmente nos EUA, as vendas de loções aromáticas, velas, óleos e fragrâncias são mais altas do que nunca.

- No Brasil a Aromaterapia vem chegando com mais força nessa última década mas existem registros da sua prática desde a década de 30.



Precauções Relativas à Aromaterapia

Dependendo do histórico médico específico de uma pessoa, alergias ou nível de sensibilidade, certos tipos de óleos de aromaterapia não são recomendados. A maioria dos óleos essenciais deve ser mantida afastada de bebês e crianças, exceto se for referido o contrário. Se você estiver grávida ou amamentando, certifique-se sempre de que qualquer óleo essencial que você use para aromaterapia é seguro e não representa nenhum risco (muitos representam).

Embora os óleos essenciais geralmente têm mostrado efeitos adversos mínimos, os riscos potenciais incluem: (10)

- ingerir grandes quantidades / uso indevido intencional, o que pode causar toxicidade

- irritação da pele, especialmente quando usado em grandes quantidades

- dermatite de contato alérgica

- fotossensibilidade à luz solar

Em geral, use apenas óleos internamente quando você tiver certeza que eles são completamente puros e você não tem nenhuma condição médica que exige que você tome medicamentos que possam interagir com óleos. O uso de óleos de aromaterapia internamente às vezes pode ser tóxico e muito prejudicial, então faça sua pesquisa e peça a um profissional uma opinião se alguma vez tiver alguma questão ou dúvida. Comece sempre com a menor dose possível.

Se você tem uma pele sensível e quer usar óleos de aromaterapia de forma tópica, certifique-se de sempre diluir os óleos com uma base antes de aplicá-los à sua pele, procurando sintomas, como uma erupção cutânea, vermelhidão ou inchaço (especialmente quando está ao sol). Os óleos essenciais fotossensíveis incluem bergamota, limão, lima, laranja azeda e raiz de angélica. Os óleos citrinos e óleos com mentol (incluindo a menta) podem irritar a pele sensível, então use-os cuidadosamente e primeiro faça um teste em uma pequena área.


Considerações Finais sobre Aromaterapia

As práticas de medicina complementar / alternativa, incluindo a aromaterapia usando óleos essenciais, tornaram-se cada vez mais populares nas últimas décadas, embora os óleos essenciais estejam sendo utilizados há séculos.

A aromaterapia funciona utilizando óleos aromáticos que contêm muitos componentes ativos diferentes. Existem óleos essenciais antissépticos, anti-fúngicos, anti-inflamatórios e antibacterianos.

Para o que é utilizada a aromaterapia? Os benefícios e os usos populares da aromaterapia incluem reduzir a ansiedade e depressão, resfriados e tosse, fadiga, dor, TPM, sintomas da menopausa, náuseas, úlceras ou indigestão e dor da artrite nas articulações.

Há também óleos essenciais anti-idade e óleos essenciais para perda de peso, então, se alguém te perguntar para que a aromaterapia é útil, você não terá problemas em responder pela variedade de benefícios que esses óleos tem.

Se você gostou... Que tal Compartilhar? Minha missão é levar saúde através desses produtos naturais pro maior número de pessoas possíveis. Me ajude nessa corrente do bem! 

Você sabia que os óleos essenciais também podem ser usados para ajudar nos casos de dores, inflamações, infecções na pele, problemas respiratórios ou disfunções metabólicas como a diabetes?

E ainda podem agir na redução de celulites, estrias, rugas e rejuvenescimento facial?

Se você quer aprender a fazer mais receitas com esses produtos 100% naturais para te ajudar com dores no corpo, dores de cabeça, estres, ansiedade, insônia, TPM, pressão alta, problemas intestinais entre outros, clique no botão abaixo para assistir um vídeo e aprender mais.

Sobre a autora:


Cris Marcondes é farmacêutica e atua há 11 anos chefiando equipes de desenvolvimento de medicamentos em multinacionais da área farmacêutica. 
Há 5 anos começou a estudar e a desenvolver diversas fórmulas com óleos essenciais para uso pessoal – óleos relaxantes, cremes e sabonetes terapêuticos, aromatizantes para o sono e diversos produtos para seu marido e filho.Hoje divide seu tempo escrevendo sobre suas experiências e ensinando outras pessoas a melhorarem suas vidas com óleos essenciais.


As informações fornecidas neste artigo foram retiradas da experiência da autora e embasados pelos de estudos científicos referendados abaixo. São de caráter informativo e não se destinam a substituir tratamento de seu médico ou de outro profissional de saúde.  

(1) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmedhealth/PMH0032645/
(2) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11806592
(3) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7897075
(4) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7897075
(5)  https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1360273/
(6) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12442972
(7) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10069621
(8) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24756059
(9) https://www.alliance-aromatherapists.org/aromatherapy/brief-history-of-aromatherapy/
(10) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23983386